Seja bem-vindo(a)!

Neste espaço, você poderá conhecer um pouco mais sobre o meu trabalho. Tanto na clínica quanto em grupos de estudo e supervisão, viso aplicar e pensar a psicanálise sem perder sua essência, para abordar questões cotidianas de uma forma leve.

Vamos conversar?

“Se tivermos problemas pessoais, devemos conviver com eles e ver como o tempo traz algum tipo de evolução pessoal, ao invés de solução.”​

D. W. Winnicott

“Se tivermos problemas pessoais, devemos conviver com eles e ver como o tempo traz algum tipo de evolução pessoal, ao invés de solução.”​

D. W. Winnicott

Quem sou

Bárbara Rampinelli, profissional formada em Psicanálise pelo Centro de Estudos Psicanalíticos (CEP), em formação na obra de Winnicott pelo IBPW - Instituto Winnicott e especialista em Neurociência e Psicologia aplicada pela Universidade Presbiteriana Mackenzie. Com estudos nas obras de D. W. Winnicott e S. Ferenczi, dedica-se aos cuidados do profissional de saúde e brasileiros que vivem no exterior (expatriados).

Trabalhando com psicanálise clínica há mais de cinco anos, busca abordar questões que causam sofrimento pessoal ou profissional, auxiliando na saúde mental, com atendimento de pessoas que pensam em cursar, estudam ou já são formadas em alguma área da saúde. Atende, também, adolescentes, adultos e idosos pensam ou estão enfrentando os desafios de mudar de país temporária ou permanentemente.

Membro do Instituto Winnicott, filiada da Associação Brasileira de Estudos e Prevenção de Suicídio (ABEPS) e mentora do Universo Psicanálise, um projeto que visa incluir e aproximar as pessoas do conteúdo psicanalítico, disseminando reflexões do dia a dia para uma melhora da qualidade de vida.

“… Toda adaptação acontece em alguém que se tornou maleável através do terror…”

Sandor Ferenczi

“… Toda adaptação acontece em alguém que se tornou maleável através do terror…”

Sandor Ferenczi

Áreas de atuação

Análise pessoal

Um espaço de escuta e acolhimento para trocas, experimentação e desconstrução. Oferecido a adolescentes, adultos e idosos, visa amenizar o sofrimento, repensando as questões vivenciadas.

Supervisão

Individual ou em grupo, é um espaço destinado a profissionais da psicologia ou psicanálise para se pensar os casos de sua clínica.

Grupo de estudos

Em grupos de até oito participantes, este é um espaço para leitura e reflexão de textos psicanalíticos voltados às obras de Sigmund Freud, D. W. Winnicott e S. Ferenczi.

“Nosso papel como psicanalista não é o de desejar algo para alguém, mas ser aquele graças a quem ele pode chegar até seu desejo.”

Françoise Dolto

“Nosso papel como psicanalista não é o de desejar algo para alguém, mas ser aquele graças a quem ele pode chegar até seu desejo.”

Françoise Dolto

O que é psicanálise?

Termo criado por Sigmund Freud, em 1896, para nomear um método particular de psicoterapia (ou tratamento pela fala) proveniente do processo catártico (catarse) de Josef Breuer e pautado na exploração do inconsciente, com a ajuda da associação livre, por parte do paciente, e da interpretação, por parte do psicanalista.

Por extensão, dá-se o nome de psicanálise: 1) ao tratamento conduzido de acordo com esse método; 2) à disciplina fundada por Freud (e somente a ela), na medida em que abrange um método terapêutico, uma organização clínica, uma técnica psicanalítica, um sistema de pensamento e uma modalidade de transmissão do saber (análise didática, supervisão) que se apoia na transferência e permite formar praticantes do inconsciente; 3) ao movimento psicanalítico, isto é, a uma escola de pensamento que engloba todas as correntes do freudismo.

Como sublinha Henri F. Ellenberger, a psicanálise é herdeira dos antigos tratamentos magnéticos inaugurados por Franz Anton Mesmer, que deram origem, no fim do século XIX, através dos debates sobre a hipnose e a sugestão, à segunda psiquiatria dinâmica. Todavia, dentre todas as escolas de psicoterapia derivadas de Hippolyte Bernheim e da Escola de Nancy, ela foi o único método a reivindicar o inconsciente e a sexualidade como os dois grandes universais da subjetividade humana.

No plano clínico, ela é também a única a situar a transferência como fazendo parte dessa mesma universalidade e a propor que ela seja analisada no próprio interior do tratamento, como protótipo de qualquer relação de poder entre o terapeuta e o paciente e, em caráter mais genérico, entre um mestre e um discípulo. Sob esse aspecto, a psicanálise remete à tradição socrática e platônica da filosofia. Por isso é que empregou o princípio iniciático da análise didática, exigindo que se submeta à análise qualquer um que deseje tornar-se psicanalista.

Fonte: ROUDINESCO, Elisabeth; PLON, Michel. Dicionário de Psicanálise. Rio de Janeiro: Zahar, 1998.

“A Psicanálise é, em essência, uma cura pelo amor.”

Sigmund Freud (1856-1939), fundador da psicanálise

“A Psicanálise é, em essência, uma cura pelo amor.”

Sigmund Freud

Contato

Bárbara S. Rampinelli
Psicanalista

@universopsicanalise
(11) 9.9656-6339
[email protected]